Vambora

Gustavo não é de falar muito e isso logo incomodou Pamela. Naquela noite, ao entrar no carro, eles mal se cumprimentaram. Ele parecia com pressa e determinado a aproveitar todos os sinais abertos. Pamela ficou tão embriagada pelo perfume forte do rapaz que se esqueceu de perguntar para onde estavam indo.

No primeiro sinal vermelho, eles se olharam com a mesma curiosidade de quem encara o espelho pela primeira vez. Isso nunca tinha acontecido antes e Pamela preferiu quebrar o gelo.

O silêncio era uma tortura pra ela. Sempre foi. Pamela fala muito e odeia ficar sozinha. Ela puxa papo com caixa do banco, pessoas na fila, com quem senta ao lado dela no ônibus, ela quer conversar com tudo que se move.

Talvez o silêncio a incomode tanto por ter tantas vozes dentro dela. Ela agia como se fosse sua pior companhia.
Naquela noite, a distância de Gustavo criou um incomodo entre os dois. Pamela insistiu para saber o que houve da mesma forma com que a mãe de Gustavo faria se ali estivesse. Ele sorri. Finalmente, um sinal de que estava tudo bem.

Gustavo estava contando alguma situação engraçada que tinha vivido aquele dia no trabalho e Pamela não foi capaz de decodificar os barulhos que saiam da sua boca. Ela estava encantada com aquele sorriso escondido atrás da barba.
Pamela não mais rendeu assunto, ela sentiu frio na barriga quando eles desceram do carro na garagem do motel.
Eles tiraram a roupa enquanto se olhavam. Seu coração ficou em silêncio, diante do sorriso dele até suas vozes internas se calaram.

Pamela se entregou de uma forma tão intensa que Gustavo percebeu.

Ela queria mais e ele já queria ir embora.

Quando eles acertaram, Pamela recusou a carona e pediu para deixar o dinheiro do táxi.

Ela não queria voltar para aquela esquina.

Ela queria ir direto pra casa, ouvir Adriana Calcanhoto e se recuperar da fossa daquela noite.

Semanas depois, Gustavo procurou por ela no mesmo cruzamento entre aquelas ruas frias e vazias.
Pamela estava lá.

Quando ela o viu, sentiu seu coração saltar pela boca, mas preferiu entrar em outro carro.

Ela não queria ouvir Adriana naquela noite.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s